segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Anjo Caído

Acha estranho o céu assim
Escuro, cheio de nuvens... triste?!
Talvez esteja me vendo,
Aqui, passando por isso tudo.

Não sabes como é horrível!
Algo insuportável
Que não arde ou queima,
Não congela nem esfria.
Algo que não pode ser classificado
Concreto e abstrato
Algo...

Algo é descritível, pelo menos.
É água que entra forte como a corredeira
Derrubando barreiras,
Sufocando e pesando.

É fogo queimando
Cada coisa que encontra pela frente
Fazendo-me em sofrimento
Tendo que segurar em cada pilar
Para não desabar.

Pelos olhos deságua um rio
Pelos gestos ataca o fogo.
Olhando, reparo no céu
Me refletindo como se fosse
Outra forma do Eu.

Talvez esteja sonhando demais...
Eu, sozinho no mundo,
Teria o céu ao meu lado
Durante esta noite
Tão linda e graciosa?!!

Sabe, Linda,
Não aguento mais!
Já não durmo,
Fico conversando com o céu.
Tudo isso não me deixa viver em paz!

Por favor, diga na minha cara
Que não me ama mais,
Que não quer nada entre nós!
Diga isso e prometo:
Não desapareço,
Algo impossível,
Mas nunca mais ouvirá
Uma palavra minha
Querendo trazê-la de volta
Para mim.